(41) 3319-2789 - 9 9975-0597
Contingências para o mercado de construção civil em 2019
Construtora Renova

Contingências para o mercado de construção civil em 2019

Contingências para o mercado de construção civil em 2019. A área construtiva tem passado por momentos altos e baixos. Isso deve-se a crise econômica que persiste no Brasil.

Contingências para o mercado de Construção Civil em 2019

O mercado de Construção Civil tem passado por momentos de altos e baixos. Isso deve-se a crise econômica que persiste no mercado brasileiro, tanto que as contingências para o ano vigente têm como base o resultado do ano anterior. Ou seja, este ano a perspectiva é de alta de 2%. A estimativa leva em consideração ainda a instabilidade política e aprovação da proposta de emenda a Constituição e em um segundo passo a mudanças na carga tributária, três fatores que têm forte influência sobre os resultados.

 

Para atender e, ainda mais, superar as contingências do mercado, é preciso estar sempre atento às possíveis mudanças que podem ocorrer ao longo do ano. Existem diversos fatores que podem influenciar no mercado da Construção Civil, podendo alterar rapidamente a curva de crescimento do setor, tais como escassez de mão-de-obra, de matérias primas, entre outros.

Pensando nisso, o Sebrae criou um estudo chamado Cenários Prospectivos: o setor de construção no Brasil de 2016 a 2018, que pode ser muito útil aos profissionais do ramo que desejam manter-se informados, permitindo traçar estratégias e, até mesmo, realizar um planejamento mais assertivo sobre o setor.

 

Fatores que impactam o setor de Construção Civil

De acordo com o estudo realizado, foi possível levantar alguns fatores que têm muita influência e podem impactar diretamente o setor de Construção Civil no Brasil, sendo desde aspectos econômicos, bem como a atual situação política do país. A partir disso, foram elencados três panoramas possíveis ao longo do ano:

  • Expectativa com relação à política, com grande potencial à estabilidade econômica;
  • A sintonia necessária entre a política e a economia, possibilitando um crescimento ao setor, e
  • Recessão econômica em meio a uma instabilidade política.

 

Para cada um desses cenários, existem pontos de atenção que devem ser levados em conta, como as tendências de mercado, novas tecnologias que influenciam o setor, estratégias e o futuro da construção sustentável, atualização das normas e regulamentações aplicáveis ao setor de construção civil, por exemplo.

 

A queda estimada do Produto Interno Bruto (PIB) da construção foi de 6%, entretanto esse percentual é devido a fatores políticos e econômicos que o Brasil vem enfrentando. De acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), a produtividade do mercado de construção civil já representou 10,5% do PIB brasileiro em anos anteriores, aliás esse setor foi o que ajudou a impulsionar a economia junto com o agronegócio. Contudo, atualmente, possui uma participação de 7,3% de um PIB menor. E, apesar de as previsões indicarem uma recuperação de 2% para este ano, existem três fatores principais dos quais essa definição depende. São eles:

  • O investimento realizado em infraestrutura, principalmente em projetos e parcerias público-privadas;
  • O restabelecimento do crédito, com a redução de impedimentos aos financiamentos, e
  • A melhoria no ambiente de negócios, com objetivos relacionados à segurança jurídica e desburocratização.

Vale ressaltar que o Ministro da Economia,  Paulo Roberto Nunes Guedes está implantando a desburocratização em todos os setores da economia.

Segundo o economista-chefe do Sindicato da Habitação, Celso Petrucci, os números em 2019 podem superar as expectativas já que os negócios estão indo bem em todas as faixas.

“A cada lançamento que é feito, quer de imóveis da Minha Casa Minha Vida, quer imóveis da classe média, quer de imóveis de classe alta, esses lançamentos vão tendo uma aderência muito forte à demanda que ficou reprimida nos últimos anos.”

 

As cidades com mais vagas para engenheiros civis

A mobilidade é uma característica desejável para o engenheiro civil que quer se recolocar no mercado de trabalho.

Muitas vezes a sua tão sonhada vaga está a alguns quilômetros de distância, e o  engenheiro civil precisará, literalmente, ir atrás dela.

Veja as cidades que mais empregam engenheiros civis, conforme dados pesquisados em Dezembro/18:

  • São Paulo, SP
  • Rio de Janeiro, RJ
  • Belo Horizonte, MG
  • Porto Alegre, RS
  • Curitiba, PR
Fechar Menu